quinta-feira, 1 de março de 2012

Me adaptar

Chega um momento na vida, por mais curta que ela ainda seja, esse momento chega...
É quando não sentimos mais tanta falta de quem gostamos de estar perto, pois as responsabilidades ocupam boa parte de nosso tempo, e nos fazem privar alguns momentos com quem sempre nos sentimos bem, felizes, adorados e até amados.
É quando não esperamos mais um eu Te Amo inesperado, o momento que não vemos a hora de estar ao lado da pessoa amada tarda e as vezes não chega no dia que mais queremos, e devido a isso vamos nos acostumando a ficar sem.
O momento em que alguém da família não nos procura, para um bom dia cheio de vigor, um boa noite com cafuné, isso vai sendo deixado de lado por quem mais amamos, as vezes é preciso se aproximar e procurar cultivar novamente, mas, há os momentos que nos fazem ficar mais distantes ainda, controlamos o tempo, mas deixamos o tempo controlar muita coisa em nossas vidas, pois ele é função primordial para as responsabilidades ocorrerem.
Chega um momento na vida, que nós não queríamos, ou melhor eu não queria chegar, descobrir que tudo pode ter maldade, que dá boca pra fora sai muitas coisas que ferem, que quando espero o melhor, parece acontecer o pior, ou até mesmo nada. Que palavras bonitos, são difíceis de serem ditas pela maioria das pessoas, que a dureza surge quando você menos precisa, quando seu coração já está se partindo, que as batidas já não são só batidas e sim pontadas.
Chega um momento na vida, que se descobre que não há príncipe e que não sou princesa. Chega um momento que aquilo que sentimos vontade de fazer, nem sempre é o melhor, nem sempre todo amor que queremos dar é o melhor, as vezes se acha em outro alguém, ou ao olhar para o lado pergunta-se se é isso mesmo que queremos.
Chega um momento na vida, que fugir de uma confusão com a pessoa amada é a melhor coisa do mundo, mas, no dia seguinte voltando-se a ponto das intrigas, volta toda aquela tristeza acumulada.
Em um momento, reagimos mal, em um momento eu tenho vontade de amar sem medo, em um momento eu estou com o pé atras, consumida por esse medo todo, chega um momento na vida, que palavras ditas já não saem como queremos, elas tanto podem ferir aos outros quanto ferir a mim mesma em dobro, chega um momento na vida, que ouvir acaba sendo o pior veneno dependendo daquilo que ouvimos, e que as pessoas tem costume de nos machucar para se defender, e assim não me conformo quando acho que tenho que agir da mesma forma.
Chega um momento na vida que ela mostra que temos que nos adaptar, eu logo vejo que tenho que aprender o que não quero, tenho que sentir o que detesto, sentir que você tem um olhar negro, que contou uma mentira, que feriu um coração, que partiu sem dizer TE AMO, que chorou por algo material, que abandonou de cabeça quente quem mais amava, que voou livre, quando achou que estava se libertando de alguém, e chegou em um momento da vida, que viu que ela é fundamental, como você era para ela.
Chega um momento na vida que temos que passar por tudo isso, e só aprender, aprender, aprender, mesmo que seja levando tropeços e tapas na cara.
Cheguei ao momento na vida, que falar muitas coisas é difícil, cheguei em um momento na vida, que não aguentei e tive que escrever.

Um comentário:

[јuṡτ] яuαṉ disse...

Muito bonito... e depois que a gente escreve tudo parece ficar bem, mas lá no fundo ainda vai levar um bom tempo.