quinta-feira, 10 de junho de 2010

Sol e chuva

Indicação de música: Audioslave - Like A Stone


Não estou me isolando, somente deixando a vida passar no ritmo que ela deseja, olhando pela janela e assim analisando tudo o que se passou em uma tarde chuvosa para no amanhecer de sol sorrindo saber o que fazer, o que melhor irei fazer.
Meus amigos eu não nego, meu amor eu declaro, a esperança de estar ao lado de quem desejo eu tenho, mesmo que seja difícil admitir que quero, até então admitindo eu penso em parar, talvez começar a negar, tentar disfarçar, deixar adormecer o que se dispertou, não admitir é mais doloroso do que admitir, mas saber que talvez não seja como quero ou que seja ao contrário do que penso dói tanto depois de dito.
Eu tenho medo, isso é que tenho mesmo, medo dos raios lá fora, por isso estou sentada olhando pela janela, pois estou com medo de tomar banho de chuva, eu crio raios mesmo só garoando em uma tarde após o sol ter revelado um sorriso ao meu dia e eu ter revelado em um dia que amo.
É como sol e chuvas juntos, revelam as cores escondidas, um fenômeno inexplicável e maravilhoso, surge no céu o lindo arco-íris, é inexplicável o que estou sentindo, mas deve ser maravilhoso concretizado.




3 comentários:

[јuṡτ] яuαṉ disse...

Que sublime ficou a disposição das palavras, com um desfecho perfeito, parabéns.

Schermak, Anna disse...

Você tem o dom de escrever tudo o que sinto, Minha cara amiga *-*
Escreves tão bem, que ficaria horas somente lendo aqui, tudo o que escreves.

André disse...

Lindo texto, compreendo cada palavra. E está lindo o blog também =) Beijos doce Teresa!